Todos os editoriais do Jornal COMBATE - (Janeiro 2020) Vosstanie Editions

Todos os editoriais do Jornal COMBATE - (Janeiro 2020) Vosstanie Editions
Todos os editoriais do Jornal COMBATE - (Janeiro 2020) Vosstanie Editions

terça-feira, 28 de abril de 2020

O movemento libertario en Galiza : (1936-1976) / Dionisio Pereira, Eliseo Fernández

O movemento libertario en Galiza : (1936-1976)

Unha historia do anarquismo e do anarco-sindicalismo en Galiza
 Ediciones A Nosa Terra, 2006, 338p. 

Un livre en galicien. 
Fort intéressant pour les minhotos et les autres. 

 
 


domingo, 26 de abril de 2020

LES ANARCHISTES, LE PORTUGAL ET LA FAI

LES ANARCHISTES, LE PORTUGAL ET LA FAI*
http://www.mediafire.com/file/9ercrp1nvlr4zny/LES_ANARCHISTES%252C_LE_PORTUGAL_ET_LA_FAI.pdf/file
En réalité, les anarchistes portugais ont participé aux activités de la FAI (comme aux assemblées plénières nationales en 1933 et 1936) et - jusqu'à ce que cela soit possible - ont créé des groupes libertaires en Espagne, avec la participation, par exemple, de Vivaldo Fagundes et de José Rodrigues Reboredo.

Titre Vosstanie / Arqoperaria

* OS ANARQUISTAS ORGANIZAM­-SE : A FAI, in História do movimento anarquista em Portugal de Edgar Rodrigues, Ateneu Diego Giménez 2010.


Traduit du portugais par Vosstanie avril 2020 - 7p

quinta-feira, 23 de abril de 2020

A Resistência anarco-sindicalista à ditadura. Portugal 1922-1939 / Edgar Rodrigues


Editora SEMENTEIRA, Lisboa 1981 - 374 pp.


1 - DA REPÚBLICA AO FASCISMO
2 - DO CUSTO DE VIDA ÀS GREVES
3 - PUJANCA E DECLĺNO DO MOVIMENTO SINDICALISTA REVOLUCIONÁRIO
4- A IDEIA E O PREÇO

ANEXOS 



NOTA DO EDITOR

Este livro teve origem há uma dezena de anos atrás, quando alguns militantes sobreviventes do anarquismo português decidiram confiar a Edgar Rodrigues, também ele anarquista mas exilado no Brasil, velhos papéis e documentos conservados com mil precauções através de décadas de perseguições e receios.

Dessa colaboração de esforços, dessa vontade de não se deixar silenciar pelo esquecimento e a censura, surgiu uma obra que, com as limitações inerentes às condições em que foi produzida, é a primeira a fornecer, no seu conjunto, uma visão panorâmica do que foi o anarquismo em Portugal e do movimento operário por ele influenciado.

A Resistência Anarco-Sindicalista à Ditadura, que abarca o período que vai de 1922 a 1939, insere-se pois num conjunto mais vasto, de que já saíram a público O Despertar Operário em Portugal (1834-1911) e Os Anarquistas e os Sindicatos (1911-1922). Em breve esperamos por a circular o último volume desta obra (A Oposição Libertária em Portugal, 1939-1974), que incluirá também um importante conjunto de biografias de militantes, alguns depoimentos e mais documentos inéditos.

Possa este esforço suscitar leitores atentos e interessados, são os nossos votos.