Jornal COMBATE - 2 publicações Vosstanie Editions

Jornal COMBATE - 2 publicações Vosstanie Editions
Jornal COMBATE - Vosstanie Editions

sábado, 5 de setembro de 2020

A crise da sociedade Portuguesa : " Descolonizaçao" & "Independencia Nacional"


A crise da sociedade Portuguesa 

"Descolonização" & "Independencia Nacional" 

Charles Reeve - J.Carvalho-Ferreira 

Edições Contra a Corrente, Setembro 1975, 27p.



 

quarta-feira, 5 de agosto de 2020

Por uma acção revolucionária em época de refluxo / COMBATE - CONTRA A CORENTE (1980)


Edições Contra a Corrente, Lisboa, 1980. 12 pages.


I. O significado das eleições

II. Dois derrotados

III. O bloqueamento do processo revolucionário

IV. O nacionalismo dos partidos "de esquerda"

V. A estratégia actual dos partidos "de esquerada"

VI. Por uma actividade anti-nacionalista


On trouvera une version au format texte d'ici peu sur cette page.





terça-feira, 7 de julho de 2020

PARUTION : Reprint du Journal COMBATE 1974-1978 (EN PORTUGAIS)

Reprint du Journal COMBATE
1974-1978

[EN PORTUGAIS]




Nous venons de recevoir les premiers exemplaires de l'ouvrage à paraitre fin août 2020.

Il s'agit d'une édition complète en reprint de la totalité des numéros du
Journal COMBATE édité de 1974 à 1978. (51 numéros).

Ouvrage en portugais, relié (cartonnage)
21X29,7 - 560 pages.
Il sera vendu 39 Euros.
Le tirage sera limité.

N'hésitez pas à nous contacter si vous désirez réserver un exemplaire.


Voir aussi


Pour en savoir plus sur le journal Combate Voir la brochure

Quand le peuple est populaire - Vosstanie Éditions


quinta-feira, 14 de maio de 2020

Autogestão em Portugal - Relatório da Comissão Interministerial (1980)

Autogestão em Portugal
Relatório da Comissão Interministerial (1980)


Relatório da Comissão Interministerial. 
Para Análise da Problemática das Empresas em Autogestão. 
Centro de Estudos Fiscais da Direcção-Geral das Contribuições e Impostos. 
Ministério das Finanças. Lisboa. 1980. 384 págs.

Note ArqOperaria
Luís Brito CORREIA est l'auteur de ce rapport / compilation à destination de l'État. Ouvrage dont nous parlerons prochainement dans une réflexion plus large sur les entreprises qui adoptèrent cette forme de "gestion" sous la pression de la nécessité.

INDICE

Introdução

Parte 1 - Enquadramento histórico e doutrinário
Parte 2 - Situação jurídica das empresas em autogestão
Parte 3- Análise sócio-económica das empresas em autogestão. Parte 4- Reflexões para uma política da autogestão em Portugal
Apêndice
Decreto-Lei nº 821/78 de 12 de Novembro - Estabelece providências destinadas a impedir a perturbação do funcionamento das empresas geridas pelos trabalhadores
Decreto- Lei nº 185/78 de 19 de Julho - Premite a suspensão da instância nas execuções por dívidas contraídas no exclusivo interesse da própria empresa por proprietários ou cessionários da exploração de empresas que estejam a ser geridas exclusivamente pelos trabalhadores. - 
Lei nº 66/78 de 14 de Outubro - Instituto Nacional das empresas em autogestão (INEA)
Lei nº 68/78 de 16 de Outubro - Empresas em autogestão.

terça-feira, 28 de abril de 2020

O movemento libertario en Galiza : (1936-1976) / Dionisio Pereira, Eliseo Fernández

O movemento libertario en Galiza : (1936-1976)

Unha historia do anarquismo e do anarco-sindicalismo en Galiza
 Ediciones A Nosa Terra, 2006, 338p. 

Un livre en galicien. 
Fort intéressant pour les minhotos et les autres. 

 
 


domingo, 26 de abril de 2020

LES ANARCHISTES, LE PORTUGAL ET LA FAI

LES ANARCHISTES, LE PORTUGAL ET LA FAI*
http://www.mediafire.com/file/9ercrp1nvlr4zny/LES_ANARCHISTES%252C_LE_PORTUGAL_ET_LA_FAI.pdf/file
En réalité, les anarchistes portugais ont participé aux activités de la FAI (comme aux assemblées plénières nationales en 1933 et 1936) et - jusqu'à ce que cela soit possible - ont créé des groupes libertaires en Espagne, avec la participation, par exemple, de Vivaldo Fagundes et de José Rodrigues Reboredo.

Titre Vosstanie / Arqoperaria

* OS ANARQUISTAS ORGANIZAM­-SE : A FAI, in História do movimento anarquista em Portugal de Edgar Rodrigues, Ateneu Diego Giménez 2010.


Traduit du portugais par Vosstanie avril 2020 - 7p

quinta-feira, 23 de abril de 2020

A Resistência anarco-sindicalista à ditadura. Portugal 1922-1939 / Edgar Rodrigues


Editora SEMENTEIRA, Lisboa 1981 - 374 pp.


1 - DA REPÚBLICA AO FASCISMO
2 - DO CUSTO DE VIDA ÀS GREVES
3 - PUJANCA E DECLĺNO DO MOVIMENTO SINDICALISTA REVOLUCIONÁRIO
4- A IDEIA E O PREÇO

ANEXOS 



NOTA DO EDITOR

Este livro teve origem há uma dezena de anos atrás, quando alguns militantes sobreviventes do anarquismo português decidiram confiar a Edgar Rodrigues, também ele anarquista mas exilado no Brasil, velhos papéis e documentos conservados com mil precauções através de décadas de perseguições e receios.

Dessa colaboração de esforços, dessa vontade de não se deixar silenciar pelo esquecimento e a censura, surgiu uma obra que, com as limitações inerentes às condições em que foi produzida, é a primeira a fornecer, no seu conjunto, uma visão panorâmica do que foi o anarquismo em Portugal e do movimento operário por ele influenciado.

A Resistência Anarco-Sindicalista à Ditadura, que abarca o período que vai de 1922 a 1939, insere-se pois num conjunto mais vasto, de que já saíram a público O Despertar Operário em Portugal (1834-1911) e Os Anarquistas e os Sindicatos (1911-1922). Em breve esperamos por a circular o último volume desta obra (A Oposição Libertária em Portugal, 1939-1974), que incluirá também um importante conjunto de biografias de militantes, alguns depoimentos e mais documentos inéditos.

Possa este esforço suscitar leitores atentos e interessados, são os nossos votos.